Alimentação durante a gravidez

Durante a gravidez manter uma alimentação correta é muito importante tanto para a mãe quanto o bebê. Os enjoos sentidos no início da gestação podem dificultar uma dieta balanceada e repleta dos nutrientes necessários, porém passando o primeiro trimestre, com a melhora dos enjoos, é possível comer bem e seguir com uma alimentação saudável.

Segui muitas dicas, li muito e conversei bastante com o meu obstetra sobre minha alimentação durante a gravidez, e a seguir compartilho algumas dicas com vocês.

Alimentos que devem ser evitados

Primeiramente precisamos entender que durante a gravidez nosso sistema imunológico passa por diversas mudanças, podendo ficar mais vulnerável em relação às intoxicações alimentares, além de que tudo que é ingerido durante a gravidez passa pela placenta que alimentará o bebê. Portanto é muito importante cuidar com determinados alimentos.

Ovos crus ou com gema mole: Os ovos crus podem causar contaminação pela bactéria salmonela, que pode causar febre, vómitos e diarreia. O ideal é evitar qualquer tipo de prato em que os ovos não estejam cozidos completamente. Só é seguro comer ovos cozidos, pois desta maneira o risco de contaminação desaparece.

Peixe cru: Esse alimento gera certa polêmica, e milhares de opiniões. Eu passei 6 meses sem comer peixe cru, que por sinal amo de paixão. Passado os seis meses conversei com meu obstetra que liberou total, e disse que não havia problema algum na ingestão do peixe cru, desde que eu escolhesse restaurantes bons.

Uma outra questão que ouvi em relação ao peixe cru, é que somente peixes de água doce podem transmitir toxoplasmose.

Sendo assim, para este alimento acredito ser uma escolha bem particular. Cabe a gestante conversar com seu obstetra e decidir se come ou não.

Alguns tipos de peixes: Os peixes como salmão, cavala, arenque  e sardinha, ricos em ômega 3 são uma ótima escolha, pois ajudam no desenvolvimento do cérebro do bebê. Mas algumas variedades devem ser evitados devido aos altos níveis de mercúrio presente na carne, entre eles estão o cação, cavala, atum, robalo, dourado-do-mar, peixe-espada, garoupa, tubarão e o marlin.

Infelizmente a maioria dos peixes contêm vestígios de mercúrio em sua carne, por isso a recomendação é de que seja ingerido no máximo duas vezes por semana.

Cafeína: Alguns estudos apontam que a cafeína pode estar ligada ao aumento dos riscos da saúde do feto, porém existem outros estudos que mostraram que a cafeína não é prejudicial se ingerida em quantidades moderadas. Sendo assim, a sugestão é de não ingerir mais que 300 miligramas por dia, ou seja, de duas a três xícaras café.

Alimentos embutidos: Este alimentos possuem aditivos que podem estar ligados a tumores cerebrais e diabetes. Embora não hajam estudos conclusivos sobre estes alimentos, eles não são boas escolhas nutricionais de qualquer maneira. O mesmo vale para os refrigerantes, que possuem baixo valor nutricional e são cheios de sacarina, e cafeína.

Alguns tipos de Queijos: Os queijos chamados de macios, e os mofados como o Brie, Camembert, Feta, Gorgonzola, Blue Cheese, Roquefort, Minas ou outros tipos de queijos caseiros não são considerados seguros para consumo durante a gravidez, pois podem carregar micro-organismos prejudiciais a saúde do feto.

A gestante deve ter atenção ao consumir este tipo de laticínio, procurando comer somente queijos feitos com leite pasteurizado, por isso é importante sempre verificar os rótulos, especialmente em relação a marcas importadas. Os queijos considerados como seguros são os chamados queijos duros, como o Queijo Cheddar, Cottage, Prato, Mussarela e Parmesão.

Carne vermelha mal passada: A carne vermelha é uma excelente proteína e não necessita ser retirada do cardápio, porém deve ser ingerida com alguns cuidados. Mais uma vez para evitar qualquer tipo de intoxicação alimentar, a carne vermelha deve estar sempre bem passada. É importante também, lavar bem as mãos, facas e tábuas de corte após o manuseio da carne crua, evitando assim qualquer tipo de contaminação.

Álcool: A ingestão do álcool durante a gravidez também tem diversas opiniões. Enquanto alguns médicos liberam uma pequena ingestão de álcool por semana, existem estudos apontando que o excesso de álcool pode ocasionar a Síndrome Alcoólica Fetal (FAS), que causa retardo mental e uma série de anormalidades no bebê. Por este motivo, mais uma vez, a recomendação é de seguir as instruções do seu obstetra.

 

Alimentos que devem ser consumidos

Frutas e Verduras: Estes alimentos devem ser uma grande parte da sua dieta, especialmente durante a gravidez, isso porque eles são ricos em vitaminas e fibras. Porém aqui também valem algumas precauções, como as verduras cruas e as frutas com casca, se for comer em casa lave muito bem as verduras e se possível retire as cascas das frutas. No caso de comer fora de casa, o melhor é evitar já que não se sabe se a higienização foi bem feita.

Grãos: Esse grupo composto pela lentilha, feijão, grão de bico, soja, ervilha, é rico em fibras que ajuda no bom funcionamento do intestino, e na digestão. O seu consumo só trará benefícios para a mamãe e o bebê, por isso sua ingestão deve ser diária.

Carboidratos integrais: Se possível escolha sempre os carboidratos integrais como arroz integral, macarrão integral, aveia, granola, pão integral, biscoito integral. A farinha integral aumenta a saciedade, ao contrário da farinha branca. Além de ser um alimento rico em fibras, o carboidrato deve estar presente na dieta da gestante, pois é ele o responsável pela energia do corpo.

Carnes: As carnes são ótimas fontes de proteínas, e não devem faltar no prato da gestante diariamente. Atente-se apenas para utilizar pouco óleo e sal no cozimento.

Água: Muito importante que a gestante se mantenha hidratada, a recomendação é de no mínimo 2 litros por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *