Birras, o que você precisa saber

Aquele fatídico momento em que o seu filho está se jogando no chão, em meio a multidão, chorando, gritando, esperneando, fazendo aquela tremenda BIRRA. Só quem já passou por isso sabe como é difícil contornar e lidar com tal situação.

Me lembro muito bem da primeira birra que o meu filho fez em público, com aproximadamente 1 ano e poucos meses. Ele simplesmente se jogou no chão gritando, porque eu insisti para que ele segurasse minha mão enquanto passeávamos pelo shopping. Na hora minha reação foi carregar ele no colo chorando e esperneando até o carro, ao mesmo tempo que eu pensava em encontrar um buraco bem fundo onde eu pudesse me esconder de vergonha.

A verdade é que, a birra é super comum entre as crianças e nenhuma mãe sairá ilesa desta experiência. Geralmente, os choros, gritos e desespero é desencadeado pela frustração da criança, que não consegue entender ou lidar com situações onde é contrariada. Ou seja, esse comportamento é normal, isso porque a criança está em pleno desenvolvimento e diariamente experimenta diversas situações novas, e muitas delas desafiadoras.

O importante é a maneira como nós adultos reagimos diante da birra. É preciso muita paciência, sensibilidade e empatia para entender o real significado da birra e tentar conversar com a criança, sem reforçar este comportamento.

O mais importante no momento da birra, é como você irá agir.

Confesso que muitas vezes já perdi a paciência com meu filho, infelizmente nós também temos os nossos dias e nem sempre conseguimos lidar com esse comportamento. E está tudo bem, nós também somos humanas e no dia seguinte teremos uma nova oportunidade de agir novamente.

De qualquer maneira, tem algumas ações que eu faço nestes momentos para ajudar, o Vitor e eu, a lidar com a situação:

1 – Não dar bola para os estranhos em volta, pelo menos tentar

Eu sei que às vezes a gente morre de vergonha, mas não se sinta assim. Toda criança faz ou irá fazer birra, e quanto mais você ficar nervosa, mais difícil lidar com a situação. Então respire fundo, se acalme e ignore o mundo.

2 – Ser gentil

Evitar gritar, xingar e bater, estas não são boas opções. O melhor é entender e tentar acalmar a criança, tirando-a do momento de frustração. Se preciso acolha, dê um abraço e explique o que ela está sentindo e o que você sente também.

3 – Dar limite

Dar limite é básico, e é o que toda criança quer e precisa. Não só para a infância, mas para a vida adulta. É preciso aprender o que ela pode ou não pode fazer.

Temos que entender que fazer birra é completamente normal, mas limites são necessários.

4 – Tenha um ritual ou algo que ajude a criança canalizar a frustração

Ter um cantinho em casa com objetos que a criança possa usar para se acalmar é muito útil. Pode ser papel e giz de cera, plástico bolha, um livro ou um urso de pelúcia ou travesseiro que ela possa jogar no chão.

5 – Depois que ela se acalmar explique

Espere o momento em que a criança já está calma para explicar o porquê de você ter dito NÃO ou por ela não ter ganho algo que queria, mas não tente explicar em meio ao rompante, pois a criança não irá entender e tende a ficar mais nervosa.

Deixe ela perceber que você se importa com ela e com os seus sentimentos, e mostre o que foi aprendido da situação. Como por exemplo, já que ela se jogou no chão e fez escândalo vocês precisaram se retirar do local e não puderam aproveitar o restante do passeio.


Até adultos têm dificuldades em lidar com frustrações, por isso tenha empatia com seu filho.

E algo que funciona comigo é, quando vejo que estou prestes a perder o controle eu saio de perto e dou espaço para eu me acalmar. Afinal de contas, a adulta da situação sou eu e sou muito mais capaz de controlar minha frustração que o meu filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *