Colar de Âmbar Báltico e os seus benefícios

Colar de Âmbar Báltico
Colar de Âmbar Báltico

Quando chega a fase dos dentinhos começa a babação, coceira na gengiva e a irritação é certa.

Assim como a maioria das mães eu procurei milhões de soluções para amenizar o incômodo do pequeno. Foi Nenedent, Camomilina, mordedor gelado, picolé de leite materno, tudo o que deu nós tentamos.

Algum tempo depois do nascimento dos primeiros dentinhos, conversando com outras mães que estavam passando pela mesma fase, descobri o Colar de Âmbar. E ouvi vários relatos de que realmente acalma o bebê durante esse período mais chatinho.

Sabe aquele famoso colar de pedrinhas que ficou conhecido por ser utilizado pelos filhos de várias famosas, inclusive a Gisele Bundchen? Ele é feito de Âmbar Báltico e muito usado como terapia alternativa, aliviando a irritação e dores causadas na fase da dentição.

O Âmbar Báltico

O Âmbar é considerado um produto homeopático utilizado como um recurso de terapias alternativas.

Ele possui propriedades de analgésico e anti-inflamatório natural, podendo ser utilizado tanto por crianças como em adultos.

O Âmbar é original do mar Báltico, e na Europa seu uso em bebês é muito comum. Seu composto é o ácido succínico, que em contato com o calor da pele libera substâncias minúsculas que agem contra inflamações e melhora o sistema imunológico.

Os benefícios do Colar de Âmbar

Colar de Âmbar Báltico - Meu Estilo de Mãe
Colar de Âmbar Báltico

O colar de âmbar em bebês age como um anti-inflamatório e analgésico natural.

Por este motivo é muito utilizado na fase da dentição, porém seu uso contínuo favorece o sistema imunológico, proporciona efeitos calmantes e trata até alguns desconfortos como, dor de garganta e resfriados.

Em adultos  o ácido succínico liberado pelo âmbar melhora a imunidade, alivia o estresse, a ansiedade, além de ser um antibiótico natural.

Vale lembrar também que, o âmbar deve estar diretamente em contato com a pele para se obter os seus benefícios terapêuticos.

Existe uma boa parte de especialistas que são contra o uso do colar em bebês, por se tratar de uma terapia alternativa e devido ao perigo de sufocar. Uma boa opção nesse caso é o uso dele em tornozeleiras ou pulseiras.

Mas se você optar pelo colar certifique-se de que o cordão tenha entre 30 e 36 cm, ele não deve estar muito justo, nem com muita sobra no pescoço da criança.

Alguns outros cuidados devem ser levados em consideração na escolha:

  • Deve conter sempre um nó entre as pedras de âmbar, para que se acaso arrebentar, apenas uma bolinha caia;
  • O fecho deve ser de rosca com uma pedra por cima, evitando que a criança abra e solte o colar;
  • Escolha modelos com pedras lisas e ovaladas, elas não podem ter pontas perfurantes que causem incômodo ou dor;
  • Não utilize o colar para dormir (isso é muito importante)! Caso queira utilizar o Âmbar mesmo durante o sono do bebê, opte pela tornozeleira ou utilize o colar no tornozelo dando 2 voltas.

Um outra dica é ficar atenta as falsificações, que infelizmente estão no mercado em forma de pedras de vidro ou resinas plásticas e que são muito parecidas com a verdadeira pedra de âmbar, mas que não terão o mesmo benefício.

Por isso, é muito importante pesquisar a procedência do produto e verificar indicações da loja antes de comprar.

Na loja Âmbar Báltico Original você recebe um certificado de autenticidade junto com a sua joia. E no site é possível até ver o laudo laboratorial comprovando a procedência do Âmbar.

Infelizmente só estamos usando agora, depois do nascimento dos primeiros dentinhos e não tenho como dizer se funciona ou não para este mal. Mas como a nossa intenção como pais é utilizar a medicina homeopática e evitar ao máximo o uso de remédios, vamos continuar sim com o colar.

Não vejo contra indicação, mas vale lembrar da importância em estar sempre atento ao seu uso com segurança.

 

Este conteúdo é um publipost.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *