Como escolher o parto

Muito se fala sobre os benefícios do parto normal, natural, humanizado e os malefícios da cesárea no momento do nascimento de um bebê. E acredito que, um dos assuntos que mais gera ansiedade nas futuras mamães é a escolha do parto. Fazer Cesárea ou Normal?

Fazer Cesárea ou Normal?

Eu queria muito ter um parto normal quando ganhei o meu filho, porém por vários motivos acabei não conseguindo e tive que me submeter a uma cesárea para que ele viesse ao mundo.

Como escolher o parto afinal?

A escolha do parto é muito particular. Por isso, é muito importante que você entenda como cada um funciona, além sempre tirar todas as dúvidas junto ao seu obstetra.

Parto normal

O parto normal é aquele que toda mulher nasceu pronta para fazer. Por mais difícil e desgastante que possa ser, o seu corpo naturalmente vai saber como agir e o que fazer para que o bebê venha ao mundo.

Seus benefícios são, uma recuperação mais rápida, favorece a produção de leite, diminui os riscos de infecção.

Além disso, o parto normal traz benefícios para o bebê também. Logo após o nascimento por parto normal eles apresentam maior facilidade para respirar, uma maior atividade, receptividade ao toque e os bebês tendem a ficar mais calmos.

Cesárea

Apesar de ser um procedimento bem normal no Brasil, ainda assim, é uma cirurgia. E como qualquer cirurgia, ela tem riscos.

As gestante que são submetidas a cirurgia de cesárea estão mais suscetíveis a infecções, sangramentos excessivos, problemas nas cicatrização, dores no pós-parto, além de ter um período de recuperação mais longo e com algumas restrições.

Esse é o lado teórico dos dois tipos de partos. Mas eu acredito que cada mamãe tem a capacidade e responsabilidade de decidir o que é melhor para si. E essa decisão é extremamente pessoal.


Eu tenho que dizer que não gostei de ter passado por uma cesárea, pois detesto cirurgia e foi uma experiência bem desagradável. Até hoje, ainda sinto uma certa sensibilidade na área da cicatriz  (depois de mais de um ano do parto tive que lidar com queloide na cicatriz), além de ter achado a recuperação extremamente chata e incômoda.

Porém, no meu caso foi a melhor opção já que minha bolsa havia estourado e mesmo após mais de 6 horas, a evolução na dilatação não estava ocorrendo como deveria. Meu obstetra explicou que sim, eu poderia optar pelo parto normal, mas que o sofrimento pelo qual eu passaria seria muito grande e não valia o risco de tanto tempo em trabalho de parto.

Eu não me arrependo da cesárea, pois sei que foi necessária e o mais importante naquele momento era o meu filho.

Por isso, confie em seu obstetra e decidam juntos sobre o melhor parto. Mas sempre deixe bem claro o que você realmente quer e quais são as suas expectativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *