Educação financeira, prepare seu filho para o futuro

Você já parou para pensar em como seria a sua vida se na época da escola você tivesse estudado Educação Financeira? Com certeza, faria diferença.

Algumas pessoas conseguem se organizar financeiramente de maneira natural, geralmente por gostarem do assunto, por isso certas pessoas têm uma melhor facilidade para lidar com o dinheiro que outras.

E pensando nisso, percebo uma grande necessidade em educar os nossos filhos, financeiramente. Pode não parecer um assunto tão importante como o desenvolvimento infantil ou  a amamentação de um bebê, mas é tão importante quanto todos os demais assuntos maternos.

A educação financeira é basicamente uma maneira de nos auxiliar a lidar com o dinheiro que recebemos, tomando as decisões corretas na hora de gastar e a aprender como poupá-lo também.

E o quanto antes se aprende os princípios básicos desta educação, melhor o preparo para enfrentar o futuro. Por isso, as crianças já podem ser inseridas neste ambiente, se familiarizando com os conceitos e aprendendo a tomar as suas próprias decisões.

Gosto de dizer que não existe idade mínima para ensinar educação financeira, simplesmente pelo fato de que, mesmo que o seu filho não absorva todas as palavras ou conceitos ensinados, ele já começa a se habituar com o assunto.

Como ensinar

Sempre de maneira simples e lúdica, sem pressão ou com intuito de obrigação. Pela minha experiência, crianças aprendem brincando. Portanto, utilizar de brincadeiras como colocar moedinhas no cofrinho, fazer um cofrinho com caixa de papelão, desenhar e pintar notas de dinheiro, brincar de fazer compras ou ler um livro que estimule a educação financeira.

São estes pequenos estímulos que farão com que a criança assimile, desde cedo, a função do dinheiro.

No início é mais importante que a criança se familiarize com o dinheiro e eventualmente irá aprender a sua importância.

E obviamente que, conforme seu filho cresce a conversa sobre finanças também fica mais fácil. A partir do momento em que a criança já entende o conceito de Mercadoria X Dinheiro, já é possível incentivá-la a criar suas próprias metas para que ela junte o seu dinheiro para comprar o que quer.

Firme no foco

Quem não gosta de ser reconhecido por um objetivo alcançado? Por isso, sempre que seu filho conseguir juntar o dinheiro da meta e comprar algo que ele desejava, o elogie e mostre que todo o esforço que ele fez é gratificante.

Isso também ajuda a manter o foco e a motivação. Sabemos que nem todo mundo gosta ou vai se identificar com finanças, mas também sabemos que ninguém consegue viver sem dinheiro. Ou seja, aprender a lidar com dinheiro é um mal necessário.

Educação financeira começa em casa, por isso sempre inclua os seus filhos

Por fim, também insira seu filho nas finanças da família. Deixe que ele também se sinta como um membro importante nas tomadas de decisões, auxiliando na escolha da viagem das próximas férias ou de algum passeio que a família pode fazer junta em um final de semana, por exemplo.

Filhos que tem a oportunidade de participar destes assuntos se sentem importantes, o que trará mais autoconfiança para eles no futuro.

Sendo assim, pensar em educação financeira na infância é pensar em criar adultos preparados e conscientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *