Maternidade – 9 expectativas e 1 realidade

on

Após a descoberta de uma gravidez a nossa vida muda completamente. Nos enchemos de informações e acompanhamos todo o desenvolvimento do bebê ansiosamente.

Mas depois que o bebê nasce a gente descobre que a maternidade é um pouco diferente do esperado/imaginado. Infelizmente, existe muita expectativa dentro do universo materno, e apenas uma realidade: Ser mãe é mais difícil que parece.

Sendo assim, listei 9 expectativas que temos antes do nascimento do bebê e confrontei com a realidade, tudo o que se aprende na prática.

1 – Amamentar é difícil

Eu mesma sonhei muito com a amamentação e me enchi de informações sobre. E mesmo assim, sofri bastante no início.

A pega não é fácil, o bebê não sabe mamar e você precisa ensiná-lo. O seu leite pode empedrar e dói bastante quando isso acontece. Podem ocorrer fissuras no bico do peito, além de ser bem exaustivo no início.

Mas não se apavorem queridas mamães, e não desistam que em algum momento tudo se ajeita e amamentar se torna uma tarefa maravilhosa. (leia também 5 Mitos sobre a amamentação).

2 – Recém-nascido não dorme o dia inteiro

Quem nunca ouviu aquela história que recém-nascido dorme horas, quase o dia todo? Eu ouvi, e acreditei.

Acreditei que teria muito tempo, enquanto meu filho dormisse, para tomar um banho tranquila, ir ao banheiro, ler um livro, comer (rsrsrsrs).

E a realidade era que sim, ele dormia muito no começo. Mas não o tempo suficiente para eu conseguir fazer algo simples, como me sentir um ser humano, por exemplo. E nesse meio tempo entre tentar ir ao banheiro, comer, tomar banho, eu ainda tentava descansar um pouco.

Então, aceita que dói menos, o jeito é descansar nesses intervalos e deixar qualquer outra coisa de lado. Acredite, os cochilos são valiosos e tendem a diminuir com os meses.

3 – Mesmo após o nascimento do seu filho você ficará triste

Sabe aquelas fotos e filmes de mulheres plenas e felizes segurando os seus bebês? São parcialmente verdadeiras, é óbvio que estamos muito felizes com a chegada do bebê, mas principalmente nos primeiros dias a adaptação é mais difícil e o tempo parece voar.

No primeiro mês é muito normal sentir uma forte tristeza, conhecida como Baby blues que acontece pela queda de hormônios no corpo da mulher após a gravidez, além de todo o cansaço causado pela nova rotina e das noites mal dormidas.

Por isso, é muito importante ter muito apoio do pai do bebê, amigos e familiares. Pelo menos até que todos estejam habituados a nova vida após o nascimento do bebê.

4 – Em algum momento você vai apelar para a Galinha Pintadinha

Eu concordo plenamente que crianças devem ter o mínimo de interação com TV, celular, tablete, etc. Porém, a realidade materna é bem mais difícil.

Eu dizia, durante a minha gravidez, que meu filho não iria sentar em um restaurante assistindo desenho só pra deixar os pais em paz durante a refeição.

E eis que 1 ano e 5 meses depois, eu uso muitas vezes do artifício tablete/celular para poder terminar a minha refeição antes do meu filho começar a gritar para sair da cadeirinha.

Os desenhos também me ajudam muito nos momentos em que preciso fazer almoço/jantar, lavar uma louça, etc.

Sendo assim, Deus abençoe os criadores de todos os desenhos hipnotizadores que existem.

5 – Sim, o bebê vai acordar quando você sentar para comer

Acho que este dispositivo já vem de fábrica, porque eu escuto de muitas mães esse mesmo comentário que o bebê sempre acorda no momento das refeições.

E realmente, é assim mesmo. Pode cair uma bomba que o bebê não acorda, mas assim que você sentar para comer aquela refeição quentinha. Mais provável que você esteja na primeira garfada, ele vai acordar e vai querer o seu colo.

6 – A maioria dos itens que você comprou durante a gravidez são inúteis

Com toda a ansiedade e entusiasmo da gravidez nós nos rendemos às inúmeras listas de enxovais. E mesmo fazendo uma boa filtrada sempre vão ter itens que nunca vamos utilizar, principalmente se tratando de pais de primeira viagem que não tem noção das reais necessidades.

Eu mesma, relutei e comprei bem pouca coisa destas listas, e mesmo assim acabei comprando itens que nunca usei. Depois de meses encontrei coisas que eu nem lembrava que tinha comprado.

7 – A introdução Alimentar é mais difícil que parece

Durante os primeiros meses tudo é novidade e vamos aprendendo com cada dia que passa. Perto do sexto mês começa a ansiedade da Introdução Alimentar, nós começamos a procurar milhares de receitas de papinhas e sopas, corremos atrás de produtos orgânicos e cozinhamos com todo o amor do mundo.

Aí começa a luta, nem toda criança aceita a alimentação com facilidade. Na verdade a grande maioria rejeita, faz ânsia, vomita, chora e não come.

E a gente se frustra mais quando escuta outra mãe dizendo que o seu filho sempre comeu de tudo.

Mas muita calma nessa hora, a introdução alimentar é apenas a primeira etapa para a alimentação de verdade, até o primeiro ano de vida do bebê é apenas conhecer os alimentos, aprender a mastigar. O leito materno ainda é a principal fonte de alimento para os pequenos, e por isso se chama Introdução. (leia mais sobre IA aqui)

8 – Em algum momento você vai se render a cama compartilhada

Mesmo que você não queira (eu achava um absurdo compartilhar cama com bebê), mas em algum momento vai acontecer. Mesmo que não seja a noite toda, mas vai acontecer.

Seja por cansaço de ficar levantando durante a noite toda, ou porque o bebê dorme melhor com os pais, ou simplesmente porque os pais querem.

E basta alguns dias para que a criança se acostume e não queira mais dormir sozinha.

Já foi comprovado que a cama compartilhada traz diversos benefícios para a criança, mas a verdade é que se você não tem uma cama king size o sono não é tão bom assim.

9 – Você vai se sentir exausta, e não quer dizer que não ame seu filho

Parem de dizer para as mães que reclamam de cansaço que, foram elas que escolheram ter filhos. Não é porque estamos cansadas, que estamos cansadas dos filhos.

Todo mundo cansa de trabalhar e das rotinas diárias. Por isso, mãe que não tem folga e nem férias vai cansar, ficar exausta, surtar e deixa ela lá.

Internamente nós estamos sempre mentalizando o famosos mantra: vai passar! E como tudo na vida, vai mesmo. E nós podemos cansar e não ser perfeitas, pois somos humanas como qualquer outro indivíduo.

Todas nós temos dias ruins na maternidade, nenhum dia é igual a outro. São inúmeras fases e dificuldades que cada vez aumentam mais, o importante é saber que você está fazendo o seu melhor e com muito amor pelo seu filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *