O bebê nasceu! E agora?

Após o nascimento do bebê, os pais vem sua vida mudar completamente. Toda a rotina do casal se altera, e todos os minutos começam a girar em torno do recém nascido.

E é neste momento em que a mãe mais precisa de ajuda. Além do pai, é muito importante ter ajuda de fora. Geralmente a avó materna assume este papel, mas a ajuda pode vir de qualquer um próximo a família.

E quando digo ajuda, não é só para cuidar do bebê. Até porque um bebê recém-nascido precisa basicamente da mãe. E essa mãe precisa comer, precisa de roupas limpas, precisa descansar, tomar banho, fazer xixi, se hidratar, e por aí vai.

Para a recém mamãe o desgaste não é só físico, mas também emocional. Alguns dias após o nascimento do bebê é muito comum que ocorra o famoso baby blues, devido as alterações bruscas dos hormônios no pós-parto. Ao mesmo tempo em que esta mãe se sente muito feliz com a chegada do seu bebê, ela pode sentir uma profunda tristeza e melancolia em alguns momentos do dia.

O baby blues não é preocupante e não há necessidade de uso de medicamentos, ele tende a passar durante o primeiro mês.

O Baby Blues acomete a maioria das mamães logo nas primeiras semanas após o parto
O Baby Blues é comum entre os primeiras semanas após o nascimento do bebê

Um outro fator que dificulta esse comecinho com o recém-nascido é a amamentação. Existe uma pequena porcentagem de mães que tiram de letra e passam por esse período de adaptação com muita facilidade. Porém, para a grande maioria a amamentação é uma das maiores dificuldades nesse início.

Ela não deve doer, sim é verdade. Mas geralmente dói, e muito.

A dor só é causada pela pega incorreta do bebê, mas a pega correta não é fácil de ser estabelecida, pois esse começo é de puro conhecimento entre mãe e filho. E nenhum bebê nasce sabendo pegar o peito corretamente, ele sabe apenas que tem fome, e se você o colocar no peito ele irá sugar por puro reflexo, o que não quer dizer que fará da maneira correta. Cabe a mãe ajudar o bebê a aprender, e se ela não consegue, pode contar com a ajuda das enfermeiras do hospital em qual teve seu bebê, consultoras de amamentação, ou grupos de apoio.

Eu digo por experiência própria o quanto é difícil. Enquanto estava grávida li e me informei muito sobre o assunto, pois meu desejo sempre foi de amamentar. Mas o primeiro mês foi muito difícil, sofri bastante com leite empedrado, bicos doloridos, a pega incorreta que não conseguia acertar, cansaço pelas madrugadas acordada. Pensei várias e várias vezes em revezar com mamadeira, mas ainda bem que eu insisti e consegui ajustar a pega.

A amamentação pode ser difícil nas primeiras semanas de vida do bebê
A amamentação pode ser difícil no começo e muitas vezes é necessária ajuda

Agora pense nas mamães tendo que passar por este turbilhão de hormônios, sentimentos, dores, cansaço sem ajuda nenhuma?

Por isso antes mesmo do bebê nascer a mamãe e o papai devem saber se poderão contar com uma ajuda extra, ou se programar caso sejam só os dois. E lembrar que passa, e como passa rápido. Após o primeiro mês a rotina fica cada vez mais fácil, e aos poucos tudo se ajeita. Às vezes nem me lembro mais daquele primeiro mês, porque tudo que tem acontecido nos últimos 4 meses compensam tudo.

3 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *