O nosso desmame

Durante a gravidez o nosso grande sonho é amamentar. E após o nascimento do bebê a amamentação finalmente se torna uma realidade, que em alguns casos é fácil, mas na maioria das vezes é difícil. E só quem já passou por essa fase sabe que logo tudo se ajeita.

Então começamos a pensar no desmame, que mais uma vez para algumas mães é fácil e para outras nem tanto. Eu mesma me encaixo no time do  “nem tanto”.

Amamentação e desmame são dois assuntos relevantes e que muitas mães
relatam sentirem dificuldade em como conduzir

Ainda durante a gravidez eu queria muito amamentar meu filho até os dois anos de idade, que é o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS),  e por sorte eu consegui.

Porém, próximo aos dois anos de idade do Vitor o meu desgaste, tanto físico como emocional, falou mais alto. E a gente sabe que nessas alturas do campeonato a criança nem quer mais mamar, e sim chupetar o peito para voltar a dormir.

Neste momento, eu percebi que já estava no momento de pensar no desmame do meu filho e comecei a procurar a melhor maneira de conduzir.

Então, começa um outro dilema. Como fazer?

O desmame gentil deve acontecer gradualmente, respeitando o tempo de
cada criança

Eu escolhi o método do desmame gentil, que respeita o tempo da criança sem precisar deixar ela chorando, ou precisar viajar, ou ainda inventar algo como o mamá da mamãe está dodói.

Obviamente que, cada mãe deve escolher o que acha melhor para si e para sua família. Mas no meu caso foi escolhido por ter um conceito que eu acredito.

Como funciona o desmame gentil?

O desmame gentil é considerado um desmame natural, onde não existe interferência de nenhum outro bico artificial para substituir a necessidade de sucção da criança. Desta maneira, a criança é apenas conduzida pela mãe, e vai largando o peito aos poucos e em seu próprio tempo.

Este desmame começa após os dois anos idade, pois é quando a criança já começa a mostrar sinais de que está pronta.

Infelizmente, muitas mães acabam desistindo no meio do caminho porque o desmame gentil é um processo longo (pode durar meses) e depende da criança estar preparada ou não.

Eu mesma quase desisti, já que, aqui em casa o processo ainda está acontecendo e está sendo mais longo que eu esperava. Passaram-se 7 meses e ainda não finalizamos o desmame completamente. Agora meu filho quase não pede mais pelo peito, porém ainda temos alguns momentos ou dias em que ele quer mamar.

Existem algumas estratégias para se guiar o desmame de maneira gentil com o seu filho:

1. Evite os lugares de amamentação:

Eu costumava amamentar o meu filho no sofá da sala, por isso toda vez que ele queria mamar ele me chamava para a sala e pedia para eu sentar. Então, comecei a distraí-lo e evitar este local.

Pelo menos no início, que é mais difícil, tire o foco do lugar e passe mais tempo com a criança em outro local.

2. Encontre uma distração

Sempre que a criança pedir o peito tente outros recurso primeiro. Oferecer água ou um lanche é uma boa opção e às vezes a criança aceita por estar sentindo sede ou fome.

Inventar brincadeiras também é um ótimo recurso para distrair a criança e fazê-la esquecer do peito.

3. Dificulte o acesso da criança ao peito

Volte a usar os sutiãs normais, camisetas/camisas mais fechadas. Evite facilitar o acesso da criança ao peito.

Muitas vezes meu filho pede o peito para dormir quando não estamos em casa e falo que a mamãe não consegue porque a roupa não deixa. Ele reclama um pouco, mas acaba dormindo sem precisar mamar.

4. Diminua o tempo das mamadas

Por exemplo, aqui em casa eu ainda não consegui tirar a mamada da manhã. Logo que meu filho acorda ele pede o peito. Eu ainda deixo ele mamar, mas sempre falo que vai mamar um pouquinho e depois vamos comer alguma coisa, e funciona.


E lembre-se que durante todo esse processo vão ter momentos de muito choro e protesto, mas está tudo bem se você ceder e der o peito. O intuito não é fazer a criança sofrer e sim guia-la.

O importante é tentar todos os recursos possíveis, pois muitas vezes mamar vira um hábito para a criança, onde ela não quer exatamente mamar. Por isso, se você incentivar uma atividade diferente naquele momento, ela pode aceitar e esquecer do seu peito.

Ceder quando a criança está muito irritada e não aceita mais nenhuma opção não tem problema. O desmame gentil é justamente isso, tentar fazer com que a criança perceba sozinha que ele está pronta. E por isso, cada caso é diferente e depende muito de criança pra criança.

Um outro fator muito importante é o emocional da mãe. Você precisa se sentir pronta para o desmame também. Esta decisão deve ser apenas de mãe e filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *